A revista Insight Inteligência nasceu no ano de 1997 com a proposta plural de reunir pensadores de grande prestígio das mais variadas áreas, versando sobre temas pouco convencionais, sem que o corte ideológico fosse um empecilho para sua reunião. Pelo contrário, a intenção era combinar os opostos. Consultado por ocasião das primeiras conversas sobre a ideia, Raphael de Almeida Magalhães, um dos primeiros conselheiros, respondeu de pronto: “Não vai dar certo. Esse pessoal não se junta na mesma tribuna. Mas, até por isso mesmo, eu quero participar. Gosto de desafios”. Logo na primeira edição de Insight Inteligência, Raphael acusou o erro, touché, revelando enorme satisfação em ter perdido a aposta. Só para início de conversa, a revista publicou inéditos de Mario Henrique Simonsen, Arthur Candal, Eliezer Batista e Wanderley Guilherme dos Santos. É pouco? Viria muito mais, edição após edição.

O grande desafio, contudo, ia além da publicação de pensamentos tão contraditórios. A maior dificuldade era juntar intelectuais de ideologias antagônicas no mesmo ambiente editorial e comprometê-los com essa convivência. Como em um quebra-cabeça, encaixes improváveis foram sendo construídos, dentro do espaço democrático das páginas da revista. Os Conselhos Consultivo e Editorial colocaram lado a lado Roberto Campos, Maria da Conceição Tavares, José Luiz Bulhões de Pedreira, Cesar Maia, Jorge Oscar de Mello Flôres, Antônio Barros de Castro, Paulo Guedes, Carlos Simonsen Leal, Antonio Delfim Netto, Luiz Gonzaga Belluzzo, Daniel Dantas, Jorge Boaventura, Renê Garcia, M. F. Thompson Motta, Carlos Lessa, Emir Sader, João Sayad, Miguel Ethel, José Luiz Fiori e Joaquim Falcão, entre muitos outros intelectuais politicamente polares, todos de excelente cepa, conforme não poderia deixar de ser. Não é uma ousadia afirmar que os responsáveis pela maior e melhor produção de conhecimento do país fazem parte dos Conselhos de Insight Inteligência, são seus articulistas ou ambos. Foram eles o sal da terra da publicação.

Nesses 21 anos de vida e 82 edições trimestrais, Insight Inteligência publicou artigos e depoimentos de 810 pensadores. Não se pautou apenas pelo debate, puro e simples, mas pelo caráter propositivo das ideias. Em nenhum momento se acomodou na discussão dos fatos e argumentos batidos ou na análise da efêmera conjuntura, um lugar-comum e inflacionado nas lides intelectuais do país. A revista publicou artigos sofisticados sobre temas pouco usuais, como as intrincadas questões da vigilância das fronteiras, as diversas conexões do cérebro por todo o corpo, o avanço da tecnologia odontológica, a herança genética do bem e do mal, a contabilidade dos fatores sociais e a definição original de sociedade intransitiva, entre tantos e tantos outros. Insight Inteligência está classificada no Qualis da Capes em seis áreas de avaliação – comunicação e informação, economia, direito, ciências políticas e relações internacionais, interdisciplinar e ciências ambientais. É possível que nenhuma publicação congênere tenha essa amplitude de citações. É provável que não haja publicação congênere.

Em diversas edições da revista pulsam depoimentos seminais. Alguns merecem o pódio dos clássicos. Não vamos nominá-los. Deixemos essa avaliação a cargo do leitor, pois são todos geniais. O livro “No Calor das Ideias” traz à tona esses testemunhos, praticamente inéditos devido à característica da distribuição seleta da revista para um mailing refinado, constituído de acadêmicos, empresários, parlamentares, desembargadores, juízes da Alta Corte, prelados, oficiais do Alto Comando das Forças Armadas e formadores de opinião. É um target reduzido, mas determinante nas decisões centrais do país.

Nas coxias, pensando e conduzindo a edição da revista, se revezaram personagens fundamentais para a existência da publicação. Primeiramente não existiria Insight Inteligência se não houvesse a inspiração e o pensamento fora da caixa de Wanderley Guilherme dos Santos, a mais perfeita sinonímia do título da revista. Wanderley batizou Inteligência e foi seu primeiro editor. Hoje faz parte do Conselho Editorial e é um assíduo e notável articulista. Seguiram com a batuta da revista Coriolano Gatto, Rodrigo de Almeida, Claudio Fernandez e Christian Lynch, atual editor, todos brilhantes condutores da intrincada teia de textos, entrevistas, poemas, ensaios fotográficos e tantas outras contribuições inovadoras e ousadas contidas nas edições de Insight Inteligência.

Para não omitir minha participação, fui o fundador de Insight Inteligência. Mantive o cargo de diretor de redação desde o primeiro número da publicação até os dias de hoje. Sou algo próximo da definição de um publisher. Faço pontes. Eventualmente escrevo algum artigo. Fiquemos por aqui…

Este livro só foi possível devido à colaboração de Ronald Levinsohn, Chaim Zaher, Aloysio Miranda, Marcio Alaor de Araújo e Fernando Chacon. Fazemos um agradecimento especial a Pedro Henrique Mariani, que nos apoia desde a primeira hora de Insight Inteligência.

O livro “No Calor das Ideias” tem como subtítulo Breviário do Bem Pensar. Talvez a segunda linha explique melhor a publicação do que a nomenclatura que lhe antecede. Esta obra já nasce com o compromisso de um segundo tomo.

Os testemunhos estão organizados conforme a cronologia da sua publicação na revista. São muitos os depoimentos de Insight Inteligência que merecem ser editados e disponibilizados a um público maior. Mas uma coisa de cada vez. Por ora, vamos seguir “No Calor das Ideias”. 

Luiz Cesar Faro
Diretor de Insight Inteligência

Copyright © Insight Comunicação 2019